quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Tomando uma decisão


"E outro dos seus discípulos lhe disse: Senhor, permita-me que primeiramente vá sepultar meu pai. Jesus, porém, disse-lhe: Segue-me, e deixa aos mortos o enterrar dos mortos." (Mt 8.21-22).

A escolha faz parte da nossa história, do primeiro ao último dia de vida. Desde o nome que você recebeu até o lugar onde será enterrado. Todos os dias você lida com grandes e pequenas decisões. Algumas são simples, como a cor da roupa que vai usar, o caminho que vai fazer até o trabalho ou o que vai comer no almoço e jantar. Mas há também aquelas complexas, como a profissão a seguir, com quem casar, onde morar e tantas outras que podem mudar a nossa vida.

Decidir não é tão fácil assim como parece. Isso porque sabemos que toda escolha gera uma conseqüência. Temos a chance de acertar ou errar, de ter sucesso ou fracasso, de conviver com a convicção ou arrependimento. Diante desse risco, às vezes preferimos adiar a decisão ou simplesmente deixar que escolham por nós. Temos medo da mudança, do novo e daquilo que nem sabemos o que é. É por isso que muitos preferem continuar na zona de conforto, na comodidade de suas vidas. Pois é na omissão que os fracos se escondem. A pior dor não é ter tomado a decisão errada e sim ter deixado de tomá-la.

Deus não quer que você seja um covarde, e sim forte e corajoso diante das decisões. Ele sempre vai orientar e lhe mostrar o que fazer, mas a decisão é você que tem que tomar, mesmo que ela lhe machuque. Deixar de enterrar o pai não era fácil para aquele discípulo. Mas para seguir a Jesus ele precisava decidir. Para que Deus faça aquilo que Ele tem para fazer na sua vida, às vezes você vai ter que renunciar, deixar, abrir mão de muitas coisas. Pode ser que você seja criticado, julgado e até condenado por essa decisão, afinal nem todos vão entendê-la.

Temos dificuldades de identificar e deixar aquilo que está morto nas nossas vidas. Mas Deus nos ensina que para ganhar às vezes é preciso perder. Então mesmo que você sinta dor, seja criticado e não saiba nem o que vai acontecer depois da sua decisão, saiba que Deus está contigo. Ele vai lhe ajudar a entender o plano dele. Confie e nunca se esqueça que é preciso deixar o morto para se ter o Vivo.

Fonte: Texto enviado por minha Patricia Flausino. Amiga, obrigada por esse presente...

Shalom a todos,

Ana Burle

2 comentários:

patricia disse...

Amen amiga...Minha oracao e para que vidas venham a ser edificadas atravez dessa palavra de Deus, para os nossos coracoes...bjos!
Patricia Flauzino

Anônimo disse...

Oi Ana,
A Paz.
Tomar decisões parece estar diretamente relacionado com fim de ano.
Na verdade com o início de um novo ano.
Novas escolhas!
Agora no entanto me sinto segura: tenho o nosso Deus como Senhor da minha vida!!!
Nova criatura!
Enterrar o velho homem cheio de si! Render-se!
Fiquei muito triste com uma amiga que disse que eu sou a mesma coisa..."pode casar, "virar crente", que continua a mesma coisa."
Penso que era necessário ouvir isso para tomar novos posicionamentos." Forte e corajosa diante das decisões."
Que Ele continue enchendo a sua vida Ana!Para glória dEle!
Amém?!
Grande beijo e um 2009 maravilhoso na presença do Senhor!
Sabrina